Consulta Pré-Anestésica

A consulta pré-anestésica é um direito do paciente e um dever do médico anestesista. Neste momento o médico deverá saber se você é asmático, diabético, se tem pressão alta, se fuma, se toma bebidas alcoólicas, se possui alguma doença grave, se toma remédios e quais ou, se possui problemas alérgicos. Tenha no anestesiologia um amigo, e saiba que quanto mais e melhores informações você prestar a ele, melhores serão as condições para que ele possa te ajudar e para que a anestesia transcorra sem problemas e seja um sucesso. Hoje sabemos que até mesmo certas ervas e medicamentos homeopáticos interferem e reagem com algumas drogas, daí por que tudo deve ser relatado ao seu anestesiologista inclusive o uso de remédios homeopáticos e caseiros.

 

Importância da Consulta

 

Você esclarece suas dúvidas em relação a anestesia, diminuindo sua ansiedade antes do procedimento

 

Maior segurança de que você está nas melhores condições para o procedimento.

 

Tempo hábil para realização de exames auxiliares e consultoria com outros médicos, se necessário.

 

Conhecer a equipe de anestesia que irá lhe atender. Criando maior confiança para você antes do procedimento.

 

Recomendações por escrito e material gráfico para você lembrar o que é necessário saber antes e depois da anestesia

 

Compreensão e preenchimento do Termo de Consentimento Informado,

atualmente recomendado pelo novo código de ética médico

 

Você deve seguir o horário de alimentação recomendado pelo seu médico anestesiologista.

 

Cuidados Pré-Operatório

 

A refeição deve ser leve, como por exemplo, uma pequena quantidade de suco, chá, café, caldo de sopa sem resíduos acompanhada de uma fatia pequena de pão ou biscoitos com mel, geléia ou margarina.

 

Após essa refeição, não coma e nem beba mais nada. O jejum de 6 à 8 horas antes da anestesia é muito importante.

 

Avise seu médico sobre os medicamentos que você esteja tomando.

 

Reuna todos os exames, laudos e relatórios dos últimos seis meses pelo menos e leve-os com você para o hospital, a fim de que a equipe médica possa fazer uma avaliação mais completa possível.

 

Se após a entrevista com o médico anestesista surgir alguma anormalidade em sua saúde, como dor forte, febre, resfriado, etc. faça contato com o seu anestesiologista para marcar uma nova avaliação.

 

Vestir roupas fáceis, de preferência, abertas na frente e confortáveis para ir ao hospital ou clínica. Recomenda-se também o uso de sapatos baixos.

 

Conte sempre com a equipe. Se possível, escolha em sua casa, alguém tranquilo que possa acompanha-lo ao hospital e às revisões.

 

Cuidados Pós-Operatório

 

Siga a recomendação do seu médico referente ao horário em que você poderá alimentar-se novamente.

 

Comece sua alimentação com líquidos como chá preto fraco, suco de frutas, leite. Beba pequenos goles, bem devagar. Depois, passe para biscoitos. Mais tarde experimente alimentos leves como, sopa, purê, café com leite e pão, bolo simples, gelatina, salada de frutas, sorvetes, bife de carne magra em pequenos pedaços, etc. Retome aos poucos sua alimentação habitual.

 

Alguns anestésicos e remédios para a dor podem provocar náuseas ou vômitos. Este transtorno é passageiro. À medida que as horas passarem, você se sentirá melhor. Caso esses sintomas se tornem muito intensos faça contato com um de seus médicos.

 

Por 24 horas após a anestesia, não tome bebidas alcoólicas de nenhum tipo.

O alcool aumenta o efeito da anestesia e da sedação.

 

Siga a orientação do seu médico referente ao tempo em que você poderá dirigir veículos a motor e operar máquinas, instrumentos ou ferramentas que apresentem risco de acidentes.

 

Siga a orientação do seu médico referente ao tempo em que você poderá realizar atividades físicas e esportes como andar de bicicleta, skate, patins, rollers, utilizar aparelhos de ginástica e similares.

 

Use os medicamentos exatamente como o seu médico indicar.

 

Não use medicação diferente daquela prescrita por seu médico.

 

Se após a cirgurgia surgir sintomas como dor muito forte, febre elevada e persistente, dificuldade para respirar, náuseas e vômitos persistentes, edema (inchaço) no local da cirurgia ou sangramento excessivo, faça contato imediatamente com o seu médico, hospital ou clínica onde fez a cirurgia. Se não conseguir contato, procure o serviço de urgência mais próximo.

© 2013 - CLAR